Palavra do Bispo voltar
14/02/2018 - INÍCIO DO SEMINÁRIO PROPEDÊUTICO INTERDIOCESANO

          Caros diocesanos. Estamos começando a quaresma de 2018. Ela dá início ao longo Ciclo da Páscoa, que se conclui em Pentecostes. O tempo litúrgico da quaresma foi introduzido, já no IV século da era cristã, para preparar bem a celebração da Páscoa, cuja Vigília tornou-se muito cedo o ponto alto da celebração pascal, quando os catecúmenos recebiam os sacramentos da iniciação cristã: Batismo, Confirmação (Crisma) e Eucaristia. A Quaresma, portanto, veio a ser o tempo da preparação próxima da principal celebração litúrgica do ano: a Páscoa.
           Para a Província Eclesiástica de Santa Maria - formada pelas dioceses de Cachoeira do Sul, Cruz Alta, Santa Cruz do Sul, Santa Maria, Santo Ângelo e Uruguaiana -, a Quarta-Feira de Cinzas de 2018, que dá início à quaresma, tornou-se também a data de uma boa notícia vocacional: o começo de funcionamento do Seminário Interdiocesano, chamado Propedêutico. Este tem sede no conhecido Seminário São João Batista, em nossa diocese de Santa Cruz do Sul. Acolhemos, para somar junto com nossos candidatos à vida sacerdotal, os aspirantes de várias dioceses, a fim de que possam realizar sua caminhada como grupo numeroso e consistente, sob orientação de formadores permanentes e outros com presenças periódicas, seguindo programa de formação pré-elaborado e aprovado em conjunto. 
            O que mesmo vem a ser uma Casa de formação, chamada PROPEDÊUTICO
- A palavra é de origem grega, formada por dois termos: Pró (= anterior, antecipado...) + Paideutikós (= Educação, Formação...). Por isso, ao conferirmos o dicionário, leremos que o Propedêutico é definido como um conjunto de estudos que antecedem os cursos superiores. É como um estágio educativo preparatório ou introdutório, o qual serve de educação preliminar, em vista de um ensino mais completo. A explicação etimológica do termo Propedêutico nos faz entender que esta fase seminarística indispensável visa preparar o candidato para o Seminário Maior, ou seja, para a fase da Filosofia e Teologia, não só do ponto de vista intelectual, mas também, e sobretudo, humano e espiritual, sempre tendo em vista, como pano de fundo, a futura ordenação diaconal e presbiteral. A Ratio Fundamentalis Institutionis Sacerdotalis (RFIS) da Sagrada Congregação para o Clero coloca como objetivo principal do Propedêutico: “Assentar sólidas bases para a vida espiritual e favorecer um maior conhecimento de si para o crescimento pessoal” (RFIS 59). Segundo o documento Pastores Dabo Vobis (PDV) este período se define como: “Tempo de preparação humana, cristã, intelectual e espiritual para os candidatos ao seminário maior” (PDV 62). Neste contexto, a dimensão comunitária se processa na inter-relação das quatro dimensões. As Diretrizes para a Formação dos Presbíteros da Igreja no Brasil (DFPIB) acrescentam alguns indicativos práticos: “Residência ou local próprio, com programação específica, não inferior a um ano; após o nível médio; com uma equipe responsável, valorizando a presença de leigos, homens e mulheres” (DFPIB 132). O mesmo documento incentiva a colaboração interdiocesana e congregacional, sobretudo no âmbito dos estudos (cf. DFPIB 136). É o que pretendemos realizar com o novo projeto interdiocesano de formação. 
            A quaresma e o início do Propedêutico tornem-se sinais de Páscoa diocesana.
Dom Aloísio A. Dilli 
Bispo de Santa Cruz do Sul